Delegado-geral de polícia visita a redação do Semanário

Luiz Maurício Blazeck foi recebido pelo diretor do jornal, João Carlos Dias e falou sobre a nova filosofia de trabalho da DGP

Na tarde de 21 de fevereiro, quinta-feira, o jornal Semanário da Zona Norte recebeu a visita do delegado-geral de Polícia Civil do Estado de São Paulo, Luiz Maurício Blazeck. Na oportunidade, ele esteve acompanhado de Fernanda Herbella, delegada da Assistência Policial de Comunicação Social (APCS) da Delegacia-Geral de Polícia (DGP) e ambos foram recebidos pelo diretor do jornal, João Carlos Dias.

Desafio

Luiz Maurício Blazeck está à frente da DGP desde novembro do ano passado e considera esta missão um grande desafio. “Sem dúvida, ser o delegado-geral de polícia, além de ser o maior desafio pessoal como projeto de vida é também dessa forma um aspecto profissional. Não apenas por chegar ao topo da carreira, mas em razão justamente dos problemas institucionais e sociais que surgem diariamente.

Investigação

O delegado-geral destaca que o trabalho de investigação policial tem sido a meta prioritária da DGP. “Desde que assumimos a Delegacia Geral, temos trabalhado bastante e já conseguimos nos organizar, com um plano não apenas de gestão, mas de ação. Nossa diretriz principal é o resgate da investigação policial, uma atribuição natural da nossa gestão e temos buscado fazer com que o policial civil volte à sua origem, realizando esse trabalho.

Nosso foco é esse, primeiramente porque por meio da investigação se faz um trabalho muito bem feito da Polícia Judiciária e também porque com a ação investigativa se chega ao esclarecimento dos crimes e, consequentemente, isso auxilia na redução dos índices criminais. Outro aspecto importante é a retirada de criminosos das ruas, que proporciona a sensação de segurança pública que todos desejam.”

Especial atenção

Desde que se iniciou a gestão do delegado-geral Luiz Maurício Blazeck, nota-se que uma atenção especial tem sido dada a três departamentos da Polícia Civil: o Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap), o Departamento de Investigações Sobre o Crime Organizado (Deic) e o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), segundo ele justamente para agilizar a investigação.

“Todos departamentos da Polícia Civil são importantíssimo, entretanto, em razão da situação atual, existe alguma diferença que nos leva a focar com mais atenção o trabalho de três deles. O Deic, com certeza em razão de lutar contra o crime organizado, pois temos passado situações difíceis, como o caso de ataques a caixas eletrônicos, os roubos de cargas e de materiais explosivos. O Decap é o maior departamento da América Latina e, embora possua uma sistemática de atendimento muito boa ao público, ainda deixa a desejar no tocante à Polícia Judiciária e à investigação policial. Portanto, estamos passando por um replanejamento de ação que vai permitir que haja um bom atendimento ao público, mas que também melhore a investigação e os índices de esclarecimento de crimes. Com relação ao DHPP, em razão da maior incidência de casos que ocorreram de julho para cá, com pico nos meses de outubro e novembro, se faz também um resgate do trabalho do departamento para que volte à sua origem investigativa com relação aos homicídios. O DHPP não deve mais cuidar de certos procedimentos, que, embora pertinentes, acabam atrapalhando a boa execução de sua atividade, que é apuração de casos de homicídios.”

Resultados positivos

O delegado-geral Luiz Maurício Blazeck afirma que os resultados positivos da filosofia de trabalho já podem ser observados. “Na próxima estatística que estará sendo em breve divulgada, consta que os índices de homicídios baixaram, mas ainda não chegamos aos números pretendidos, algo que estamos trabalhando arduamente para alcançar. O trabalho do DHPP, do Decap e do Deic já está se fazendo presente e os resultados mostram isso. Há muito tempo que não havia um trabalho do Decap divulgado e hoje as boas notícias com relação à segurança pública voltaram às páginas do noticiário. Com o DHPP acontece o mesmo, com um bom numero de esclarecimentos de casos, com ações concretas e o Deic também tem realizado várias apreensões de cargas. Isso demonstra esta filosofia de trabalho e um dos principais sinais disso foi a operação que realizamos pré-carnaval, quando acorreu a prisão de 2.050 pessoas em todo Estado de São Paulo. Isso comprova uma ação efetiva da Polícia Civil, pois nunca em um único dia se prendeu tantas pessoas. Houve mais de 570 autos de prisão em flagrante delito, 268 menores infratores aprendidos e 1.168 mandados de prisão, selecionados entre aqueles considerado mais perigosos. São ações que estavam um pouco desfocadas e voltaram a dar resultados de forma positiva e isso é um bom sinal.”

Imprensa

Para o delegado-geral, a aproximação com a imprensa é muito importante e o jornal Semanário da Zona Norte tem sido um excelente parceiro da Polícia Civil. “Inegavelmente, além da qualidade de seu trabalho, o Semanário da Zona Norte se destaca pela forma responsável com que são divulgadas as notícias, sempre tendo como objetivo maior o bem-estar da população, a comunidade local e isso é importantíssimo. O jornal traz as demanda e necessidade da comunidade e também sabe reconhecer as atividades das instituições no sentido de proporcionar resultados positivos. Isso tem sido muito bem feito pelo Semanário, de maneira justa e clara com relação ao trabalho da Polícia Civil. Portanto, existe o nosso reconhecimento e é por isso que estou presente na redação do Semanário. Venho aqui primeiramente para abraçar o amigo João Carlos Dias e também para cumprimentá-lo pelo seu trabalho.”

Ao lado da comunidade

Luiz Maurício Blazeck salientou que a Polícia Civil está e estará sempre presente ao lado da comunidade da Zona Norte, que é atendida pela 4a Seccional. “Minha mensagem para a comunidade da Zona Norte é a de que estamos atentos a todos os problemas locais da região e por isso procuramos trabalhar de forma intensa com o delegado seccional, Ismael Lopes Rodrigues Junior. Também procuramos valorizar a atuação dos Conselhos Comunitários de Segurança – Consegs – cujo trabalho tem grande importância. Em toda e qualquer situação, a população deve colaborar e acreditar na Polícia Civil para auxiliar na solução de problemas locais. E se isso não puder ser feito de forma direta, deve ser realizado por meio do jornal, que traz os reclamos da comunidade até nossa instituição e estes, de pronto, serão recebidos e tomadas as providências necessárias. Temos no Semanário um meio de comunicação limpo, com transparência de ambos os lados, como receptor ou emissor, algo fundamental, que gera credibildiade e serve de ponte entre a população e a Polícia Civil.”

Currículo

Formado em Direito pela Faculdade de Direito de Sorocaba, com pós-graduação em Gestão de Segurança Pública, o novo delegado geral tem 49 anos, 26 dos quais dedicados à Polícia Civil do Estado de São Paulo. Natural de Sorocaba, começou a carreira como delegado de Polícia em Guarujá, onde ficou até 1995, chegando ao posto de delegado-titular. De 2002 a 2005, assumiu a Delegacia Seccional de Sorocaba. Atuou, de 2007 a 2008, em várias funções no Decap, onde virou divisionário dos setores de Assistência Policial e Administração. Em 2009, foi delegado divisionário no DEIC e assistente no DHPP, além de ter sido promovido, por merecimento, à classe especial. No mesmo ano, foi diretor do Departamento de Administração da Polícia Civil (DAP). De 2011 a 1012, atuou como delegado divisionário na Academia de Polícia Civil (Acadepol).