Vivendo a transição

O planeta vive um momento de grande transição.
Com isso, todos os homens são chamados à reflexão, porque atores ativos nesse processo.

Este é um momento em que o ego precisa ser superado, prevalecendo elevados sentimentos, para que progredindo o indivíduo haja mudança no estágio evolutivo do planeta.

Joana de Angellis, em mensagem psicografada por Divaldo Franco, já ensinou que: “A melhor maneira, portanto, de compartilhar conscientemente da grande transição é através da consciência de responsabilidade pessoal, realizando as mudanças íntimas que se tornem próprias para a harmonia do conjunto.” (Revista Presença Espírita nº 256, pgs. 28 e 29, setembro/outubro 2006, Rio de Janeiro, RJ).

Logo, é de se buscar a reforma íntima pela qual se opera uma grande mudança do Eu renovando o indivíduo moralmente.

Se a vida responde conforme as indagações morais que lhe são dirigidas, mesmo diante da dor momentânea que, por vezes, fere o íntimo do ser, é de prevalecer o sentimento de amor, que fatalmente conduz à harmonia e ao bom viver.

Irmão Alpe já exortou que: “O amor quando é compreendido é a revelação da máxima da felicidade, pois desse entendimento saberão que o próprio Deus é o amor. E assim, a luz interior estará acesa e com ela a sabedoria e a bondade farão a felicidade morar definitivamente em seus corações. Portanto meus irmãos, de cada um dependerá a sua felicidade” (A Luz Interior, mensagem recebida pela médium Tereza de Barros Fonseca, em 29/11/2005, na Casa de Estudos Espírita “Dr. Alberto Seabra”).

Por isso, ante a dificuldade, o abatimento moral, a desesperança, havemos de lembrar de Jesus, nosso Mestre maior, que nos deixou um grande e profundo legado, ensinando e, sobretudo, exemplificando como devemos proceder.

Cabe-nos o uso da sensatez para seguir seus passos, na certeza de que na vida tudo muda e as folhas secas ressentidas devem servir de adubo para fertilizar a nossa terra e dar belos frutos.

O amor, lei suprema do universo e de atração para todos os seres vivos, deve sempre prevalecer, notadamente quando, com consciência da responsabilidade pessoal buscamos nossa reforma íntima.

Assim, estaremos vivendo a transição e contribuindo positivamente para as alterações que estão sendo operadas no planeta.

Gov. do Distrito 4430 de Rotary International, ano rotário 2006/2007