Plantas medicinais que combatem a insônia (especial)

A insônia é terrível! Prejudica totalmente a qualidade de vida do individuo em várias modalidades, prejudicando a memória, causando a sonolência diurna (às vezes), irritabilidade, etc.
Alguns alimentos têm propriedades excitantes e prejudicam o sono, tais como café, chocolate, chá preto e refrigerantes que contêm cafeína. A insônia frequentemente acontece como resultado de preocupações, alterações emocionais, estresse ou hábitos perniciosos, como o excesso de café, bebidas alcoólicas, etc. A insônia pode ser solucionada apenas com mudanças de hábitos, como a prática de esportes, caminhadas longas e atividades físicas. A leitura de um livro sobre assunto bem desinteressante à hora de dormir costuma ser eficaz antes de dormir e a prática de saunas costuma produzir bons resultados.

– Maracujá – trata-se do nome popular de várias trepadeiras e arbustos brasileiros do gênero Passiflora, o maracujá, ou flor-da-paixão (Passiflora edulis e suas dezenas de variedades) é um alimento que funciona como calmante e combate o estresse da vida diária. Os elementos internos de suas belas flores, que parecem orquídeas, lembram os objetos da crucificação, como cravos e martelos. Cada 100 g de polpa do fruto contém 90 cal e são ricos em proteínas, cálcio, fósforo, ferro e vitaminas (A, B e C). O maracujá pertence à família Passifloracea, é uma planta herbácea trepadeira encontrada em diversos Estados brasileiros. Possui gavinhas, grandes folhas ovais e frutos globosos e amarelos (quando maduros). Suas sementes são pequenas, escuras e redondas.

– Receita à base de maracujá: suco medicinal

– Bater no liquidificador a polpa de 2 maracujás médios (com sementes) com 1 copo de água. Peneirar e tomar 1 copo concentrado 1 hora antes do horário habitual de dormir. Adoçar com mel de abelhas.

– Capim-limão- o Cymbopogrem citratus nativo do Brasil e a erva-cidreira ou melissa europeia (Melissa officinalis) – que foi aqui disseminada pelos portugueses e se tornou subespontânea –são plantas diferentes, mas produzem substâncias muito semelhantes e com uso medicinal parecido têm ação digestiva e calmante, como também diurética. Apenas o sabor dos chás é um pouco diferente, pois o capim-limão pode ser usado para abrir o apetite e para facilitar a digestão. Têm efeito cicatrizante das vias digestivas e diminuem a ansiedade, atuando como calmantes.

– Receitas à base de capim-limão:

– Chá contra a insônia: ferva, por 2 min., 1 colher (sopa) de folhas picadas de capim-limão e 1 colher (sopa) de flores de laranjeira em 1 xícara (chá) de água,tampe e deixe amornar. Tome sem açúcar, ½ hora antes de se deitar.

– Valeriana (Valeriana Officinalis)

As substâncias ativas da valeriana influenciaram as ondas cerebrais, e por esse motivo, melhoram as insônias e a qualidade do sono. Para além disso, os óleos essenciais funcionam como anticonvulsivos em casos de problemas psicossomáticos e gastrintestinais. Os alcaloides reduzem a azia e a regurgitação, uma vez que limitam o excesso de suco gástrico.

Suas aplicações são contra dores de cabeça, ansiedade, nervosismo e falta de concentração, podem ser tratadas com pó e chá de valeriana. A tintura e o vinho desta planta podem ser usados para combater a insônia, a falta de concentração, o nervosismo, a ansiedade. Quando adicionada a banhos completos ou macerada, a valeriana ajuda a adormecer.

– Receita à base de valeriana

– Espasmos (intestinais e estomacais); ansiedade; histeria; esgotamento de origem nervosa; distúrbios da menopausa; insônia: coloque 2 colheres (sopa) da raiz e rizoma fatiados em 1 xícara (chá) de álcool de cereais a 70 %. Deixe em maceração por 10 dias, coe e acrescente 1 colher (sopa) de glicerina. Tome 1 colher (café), diluído em um pouco de água, 2 vezes ao dia, entre as principais refeições. No caso de insônia, deve ser tomado também à noite, 30 minutos antes de se deitar.

Importante: não fazer uso destas plantas medicinais sem antes consultar o médico.

Boa saúde e bons sonhos!

Bióloga e especialista em plantas medicinais – Email: katiafitoterapia@uol.com.br