Plantas medicinais: uma experiência a cada dia

Quando eu era quase um bebê, tinha o costume de cheirar flores e brincar com as plantas. À medida que fui crescendo, este interesse aumentou nos jardins e fora dos jardins, indo à Farmácia de Plantas que curam, Farmácia Homeopáticas e fui estudando, experimentando as tinturas, ervas in natura, em cápsulas em meu próprio corpo. Não aconselho ninguém a fazer isto, mas experimentar colocar nos seus jardins e quintais plantas diferentes e obter informações precisas para que servem, antes de fazer uso delas. Algumas são bem conhecidas por nós, outras precisamos compreender melhor.

Japecanga (Smilax japecanga): trata-se de uma trepadeira brasileira com qualidades similares às da salsaparrilha (Smilax salsaparrilha), da qual é parente próxima. Por aumentar a atividade do fígado e dos rins, o chá das raízes age como depurativo do sangue, sendo indicado para tratar reumatismo e acompanhar tratamento com antibióticos. Embora seja um tradicional medicamento indígena para sífilis, só deve ser usada nesse caso como coadjuvante, no tratamento com antibióticos receitado pelo médico.

Receita à base de jacepanga: chá ante reumatismo: despeje 1 copo de água fervente sobre 1 colher (sopa) rasa de raízes secas e coe. Tome morno, antes das principais refeições, durante 15 dias por mês.

Coco (Cocos nucifera): o coco-da-baía é uma palmeira frequente, em grande quantidade neste país, principalmente nos Estados da Bahia e de Pernambuco, onde confere à paisagem litorânea um toque de singela beleza. A palmeira ocupa lugar fundamental na literatura botânica.

Receitas à base de coco: disenteria: tomar 2 xícaras (chá) de leite de coco natural, sem açúcar. Enjoo: tomar água de coco aos goles. Recomenda-se especialmente em viagens marítimas.

Aconselha-se levar alguns cocos verdes. Para prevenir cáries dentárias: comer frequentemente coco, mastigando bem. Não usar açúcar. Calmante: tomar água de coco em abundância. Asma: Tomar de manhã e à noite 2 ou 3 colheres (sopa) do leite de coco aquecido. Em seguida, tomar natural (chá) de agrião (decocto).

Usar leite de coco natural, caseiro, não adoçado. Artrite: os artríticos devem beber regularmente água de coco. Falta de apetite: Tomar água de coco algumas horas antes da refeição. Não usar outros alimentos nos intervalos da alimentação. Doenças das vias respiratórias: Tomar o infuso das flores do coqueiro com mel. Verminoses: Mastigar bem e deglutir em jejum, pela manhã, 1 colher (sopa) de coco ralado fresco.

Artemísia (Chrysanthemum parthenium): pertence à família Asteraceae (= Compositae). Trata-se de uma planta de pequeno porte, com aproximadamente 60 cm de altura. Caule levemente piloso. Folhas verdes, alternas, fendidas. Flores brancas reunidas em inflorescências do tipo capítulo. Fruto seco do tipo aquênio.

Recebe os seguintes nomes populares: Camomila do horto, erva de fogo, flor de são joão, silvia , absinto, artemijo, macela do reino, artemísia. A parte usada da planta são as folhas frescas ou secas e extremidades florais.

Propriedades medicinais: antiflatulento (contra gases intestinais), emenagogo (facilita a menstruação), antiespasmódico (relaxa a musculatura lisa e combate cólicas), tranquilizante e digestivo.

Receita à base de artemísia: prepara-se uma infusão com 1 colher (sopa) de flores e folhas picadas em 1 xícara de água. Tomar 1 xícara por dia. Ao utilizar-se internamente sugere-se para crianças com até 5 anos, 1/3 da dose , e para crianças com mais de 5 anos, a metade. Efeitos colaterais: É abortiva.

Importante: não fazer uso destas plantas medicinais sem antes consultar o médico.

Ótima saúde e cultivem as plantas com carinho!

Bióloga e especialista em plantas medicinais – Email: katiafitoterapia@uol.com.br