Plantas medicinais variadas, mundo insondável

Considerando a variedade de plantas medicinais, podemos dizer que é um mundo insondável, um mundo amplo, de uma amplitude incomensurável.

Pode-se dizer que é um universo juntando as plantas medicinais com as ornamentais. E vamos começar os primeiros acordes desta sinfonia muda, mas que toca nossos corações…

Chaguinha (Tropaeolium majus L.). Família: Trapaeolaceae. Nomes vulgares: capuchinha, chagas, mastruço, chaguinha.

Descrição botânica: plantas herbáceas, caule circular. Folhas verdes, alternas, inteiras. Flores vermelhas, hermafrodita, vistosas, grandes. Uma das sépalas forma um longo esporão. Furto esquizocarpo.

A parte usada são as folhas, frutos e flores.

Contém: proteína, cálcio, fósforo, ferro, vitamina A, vitamina B1, vitamina B2 e elevado teor de vitamina C. Composto sulfurado (presença de enxofre), o que explica seu sabor picante, além de substâncias aromáticas.

Indicações terapêuticas, preparo e utilização:

a) Expectorante (para eliminar o catarro). Triture as folhas frescas e esprema-as com gaze para obter o sumo. Beba 2 colheres (chá) do sumo. Pode-se misturar com leite e adoçar com mel.

b) Carências de vitaminas: Utilizar conservas, omeletes e saladas.

Conserva de sementes: Lave as sementes, coloque em uma panela e acrescente 1 copo de vinagre, 2 copos de água, sal e folhas de louro. Aqueça até a fervura. Deixe esfriar, coloque em vidro com tampa e espere uma semana para comer.

Omeletes: acrescente flores frescas à omelete.

Saladas: junte várias folhas frescas e temepere com sal e limão.
Carqueja: A planta é constituída por pequenos caules de até 80 centimetros, providos de bainhas de folhas, como são chamados. Nativa do Centro-Sul do Brasil, a Baccharis trimera é usada para tratar úlceras, problemas de fígado e diarréia. Por ter efeito diurético, também ajuda a baixar a pressão arterial.

Receitas à base de carqueja: chá diurético contra pressão alta e diabetes: ferva, por 2 minutos, 2 colheres (sopa) rasas da parte aérea da planta picada em 1 xícara (chá) de água. Para problemas crônicos, tome morno, 2 vezes ao dia, sem adoçar, durante 15 dias. Faça um intervalo de 10 dias e retome o tratamento.

Vinho contra problemas de fígado: macere 1/2 xícara (chá) de caules folhosos picados em 1 litro de vinho branco, por 7 dias. Tome 1 cálice antes das refeições.

Chá contra vermes: ferva 1 colher (sopa) de raiz e 1 colher (sopa) de folhas em 1 xícara (chá) de água, por 1 minuto. Tampe, deixe amornar e coe. Tome 3 a 5xícaras por dia, durante 2 dias. Se quiser dirfarçar o gosto amargo, acrescente 1 colher (sopa) de sementes de erva-doce quando fizer o chá.

Vinho contra pressão alta: coloque 10 galhos verdes em 1 litro de vinho branco seco e deixe repousar tampado, em lugar escuro, por 20 dias. Tome 1 cálice antes das refeições.

Lavagem intestinal e vaginal: ferva 1 colher (café) de galhos picados em 1 litro de água, tampe, deixe amornar e coe. Aplique em clisteres ou em lavagens vaginais, em caso de irritação das mucosas.

Pfáfia: a pffafia iresinoides é um arbusto brasileiro também conhecido como para-tudo. Sua raiz é anti-inflamatória, tônica e estimulante geral. Diminui os tremores das pessoas idosas e tem efeito anticancerígeno.

Receitas à base de pfáfia:

Estimulante: deixe mecerar por 1 semana, 3 colheres (sopa) de pó de raízes ou de raízes picadas em 100 ml de álcool de cereais a 70% e 50 ml de água destilada. Tome 1 colher (café) diluída em um pouco de água, 3 vezes ao dia.

Tônico geral: misture 1 colher (sopa) rasa de pó das raízes em 1 xícara (café) de leite. Tome 3 vezes ao dia.

Cicatrizante: deixe macerar por 1 semana, 3 colheres (sopa) de pó das raízes ou de raízes picadas em 100 ml de álcool de cereais a 70% e 50 ml de água destilada. Misture 1 colher (sopa) deste extrato com 2 colheres (sopa)de vaselina. Passe no local afetado.

Importante: não faça uso destas plantas medicinais sem antes consultar o médio.

Ótima saúde e desfrutem das maravilhas do ano que se inicia!

Bióloga e especialista em plantas medicinais – E-mail: katiafitoterapia@uol.com.br