Plantas medicinais que combatem diversas doenças

Neste novo ano que se inicia devemos nos preocupar o triplo com a nossa saúde, pois doenças têm levado embora muitos entes queridos de muitas pessoas.

É tempo de cultivo, de nutrição, de cuidar das plantas ornamentais e as plantas medicinais, tão importantes para a nossa qualidade de vida. E a qualidade de vida é diretamente proporcional a saber utilizar as plantas certas, com seus princípios ativos corretos direcionados às doenças alvos, cada qual de uma planta diferente, ou de várias plantas diferentes.
Aqui vão algumas com suas receitas:

Lúpulo (Humulus lupulus): parecida com a videira, produz flores masculinas (dispostas em cachos) e femininas (em forma de pequenos pompons). O lúpulo é uma trepadeira europeia cultivada no sul do Brasil. As flores femininas possuem uma substância amarga chamada lupulina, que dá o sabor amargo à cerveja. Também são usados os brotos tenros e os rizomas, que são cozidos e acompanham carnes e peixes, com molhos à base de manteiga.

Receitas à base de lúpulo: chá composto contra o mal estar da menopausa e da andropausa: você vai usar 1 colher (sopa) de cada um dos ingredientes secos: folhas de sálvia, galhos floridos de hipérico e raízes de prímula; 1 colher (sobremesa) de flores de lúpulo e a mesma quantidade de raízes de valeriana. Misture a sálvia, o hipérico e o lúpulo e ferva em 2 xícaras (chá) de água, apagando o fogo em seguida e deixando o chá amornar tampado. Em separado, misture as raízes de prímula e valeriana em 1 ½ xícara (chá) de água; ferva por 2 minutos, tampe e deixe amornar. Coe os dois chás e misture-os. Guarde em geladeira e volte a aquecer antes de usar. Só utilize o que for feito no dia. Tome 3 vezes ao dia, após as refeições e ao deitar, interrompendo 1 semana por mês.

Chá calmante: ferva 1 colher (sopa) de flores em 1 xícara (chá) de água, por 2 minutos; deixe amornar. Tome à noite, antes de dormir. Tem efeito sonífero.

Digestivo: use a receita acima em casos de má digestão. Também combate a enurese.

Bardana (Aratium lappa): usada na alimentação, as raízes e as folhas cozidas possuem proteínas e mucilagens protetoras de mucosas; combatem a acidez e úlceras, além de possuírem grande quantidade de fibras, que aumentam a absorção intestinal de gorduras e toxinas. Também chamada gobô pelos japoneses, a bardana,nativa da Europa, aclimatou-se bem ao Brasil. A bardana tem ação anticancerígena. Deve ser usada regularmente na dieta contra prisão de ventre ou em casos de câncer duodenal na família.

Receitas à base de bardana: contra problemas da pele (eczemas, dermatoses, acne e seborreia): ferva 2 colheres (sopa) de folhas frescas em 1 xícara (chá) de água, por 2 min; tampe, deixe esfriar e coe, acrescentando 1 colher (chá) de mel. Aplique em compressas no local afetado, de manhã e à noite.

Contra crise de furúnculos: ferva 2 colheres (sopa) de raiz fatiada em 1 xícara (chá) de água, por 7 min, em fogo brando e em panela semitampada. Tampe, deixe amornar e coe. Tome 3 xícaras (chá) ao dia, fora das refeições.

Depurativo para diabéticos: macere 2 colheres (sopa) de raiz picada em 1 xícara (chá) de álcool de cereais a 7%, por 15 dias; coe e guarde em recipiente escuro e com tampa. Tome 10 a 15 gotas diluídas em um pouco de água, até 3 vezes ao dia, antes das refeições.

Tintura contra reumatismo: mergulhe 1 xícara (chá) de folhas e raízes em ½ l de álcool de cereais e deixe macerar por 1 semana. Coe e misture em igual quantidade de água. Faça leves massagens nos locais doloridos ou aplique sob a forma de compressas.
Bicuíba (Myristica bicuiba): é uma árvore da Mata Atlântica que pode atingir 25 m de altura. As cascas são tradicionalmente usadas pelos índios para tratar diarreia e dor nas articulações. Possuem ingredientes anti-inflamatórios e adstringentes (taninos).

Receitas à base de bicuíba: contra reumatismo e dores articulares: ferva 1 colher (sobremesa) de cascas picadas em 1 xícara (chá) de água, tampe, deixe amornar e coe. Tome 2 xícaras (chá) ao dia, durante 15 dias por mês.

Contra diarreia: ferva 1 colher (sopa) de cascas em 1 xícara (chá) de água; tampe; deixe amornar e coe. Tome até 3 xícaras (chá) ao dia.

Importante: Não faça uso destas plantas medicinais sem antes consultar o médico.

Feliz 2013 para todos com muita saúde e paz!

Bióloga e especialista em plantas medicinais – E-mail: katiafitoterapia@uol.com.br